• mudas frutiferas

    Viveiro de Mudas Floresta
    Arvores de Inga, arvores frutíferas e mudas nativas, temos mudas de vários tamanhos em lata ou vaso plástico. Lembrado também que temos outra grande variedade de palmeiras: Palmeira Imperial, Palmeira Fênix, Palmeira Jerivá, Palmeira Triangular, Palmeira Areca Bambu, Palmeira Real, Palmeira Leque

Floresta Mudas

Entre em contato

(014) 3441 3501
florestamudas@gmail.com

Mudas de inga

inga

Nome popular: ingá-da-praia; ingá-verdadeiro
Nome científico: Ínga edulis Mart
Família botânica: Leguminosae - Mimosoideae
Origem: Brasil - Amazônia

Características da planta

Árvore de grande porte que pode atingir 15m de altura. Folhas divididas em 6 a 8 folíolos presos a uma haste folhosa com pilosidade de coloração ferrugíneo-tomentosa. Flores aglomeradas de coloração branco-esverdeada. Floresce quase o ano todo.

Fruto

Longo, linear, atingindo até I m de comprimento, de coloração verde-pardacenta. Polpa branca, fibrosa que envolve sementes pretas. Frutifica quase o ano todo.

Cultivo

Cultivo por sementes. Prefere solos arenosos próximos aos rios. De crescimento rápido, esta espécie é a mais conhecida dentre os "ingás".
"Escorrego por um labirinto com árvores prenhas sentadas no escuro. Raízes com fome mordem o chão Carobas sujas levantam os vestidos como cachos de lama pingando Açaís pernaltas movem as folhas lentas no ar pesadoc omo pernas de aranha espetadas num caule Miritis abrem os grandes leques vagarosos." COBRA NORATO - Raul Bopp
Em meio à densa e rica floresta, por onde serpenteiam as águas móveis dos igapós, nascem, também, uma infinidade de árvores conhecidas como ingás.
Ali, na beira d'água, os ingás juntam-se às bacabas e às touceiras das palmeiras acaí, cheias de frutos e alimento.
Nas matas de terras firmes, repletas de árvores gigantescas intrincadas num emaranhado de cipós e de
raízes aparentes, folhas, frutos e bichos por trás deles, encontram-se outros e variados ingás. Tudo isso envolto em perfumes inebriantes, magia e silêncios, quebrados apenas pelas revoadas ruidosas dos pássaros.
De acordo com Pio Corrêa, pelo nome indígena de ingá - que significa "embebido, empapado, ensopado", devido talvez à consistência de seu arilo, polpa aquosa que envolve as sementes são conhecidas mais de duzentas espécies do gênero Inga, da família das Leguminosas.
Nem todas elas são nativas das florestas amazônicas, como o ingá-cipó.
Mas, em geral, os ingás preferem nascer às margens dos igapós, embrenhando-se pelas matas marginais dos rios amazônicos.
Quando ocorrem em outras regiões, os ingás também são característicos das matas de galeria que seguem os cursos d'água por onde passam.
Assim como todos os outros ingás brasileiros, o fruto do ingá-cipó é uma vagem. Nesse caso, vagens grandes e verdes.
A principal característica deste ingá - e que faz com que ele se destaque dos demais - é o fato de sua vagem conseguir atingir até 1 metro de comprimento sem se partir. E é provavelmente por esse motivo, por ser tão comprido e ficar meio espiralado, que ele leva o nome do cipó.
Dentro dessa vagem encontram-se sementes negras e brilhantes. Envoltas pelo arilo - de cor branca, levemente fibroso, de consistência macia e sabor adocicado estas sementes são chupadas e depois botadas fora. Apesar do conteúdo dessa polpa ter propriedades nutritivas, esse fruto é consumido pela população da Amazônia mais como espécie de distração ou passatempo.
As vagens do ingá-cipó são facilmente encontradas à venda nos mercados das cidades amazônicas, podendo ser transportadas da floresta e das áreas de cultivo com facilidade sem se estragarem.
Bastante apreciado em toda a Amazônia, o ingá-cipó é muito cultivado nos arredores das habitações e por toda parte, sendo freqüente na mata, no estado subespontâneo.
É muito comum, também, utilizar-se a árvore do ingá-cipó para o sombreamento dos cafezais plantados na região.
Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br